Pastor foi preso duas vezes, insistindo em promover culto em AM

Polícia Militar

Depois de três dias, um pastor evangélico de itacoatiara alojamento local (a 270 quilômetros de Manaus), foi preso duas vezes na Polícia Militar (PM) viola o Decreto do Governo, que impede o acúmulo de pessoas no combate a disseminação de um novo coronavírus.

No início de maio, após a detenção, o pastor fez os fiéis a ir para a frente, Delegacia Interativa de promoção de turbulência.

Itacoatiara alojamento local, de acordo com dados da Fundação de vigilância em Saúde (FVS), foi travada até esta sexta-feira, 15 de maio, 337 casos e 33 mortes. Como forma de prevenção, foram tomadas várias medidas na cidade, mas mesmo com todas as recomendações e a proibição de conquistas, de eventos, de acordo com a polícia, o pastor pode ser definido como ‘John’, deve ser capaz de definição.

De acordo com o delegado Paulo Barros, Delegacia de polícia, Interativo, pelo menos, de três dias, a igreja evangélica, foi preso por NOITE duas vezes foi condenado por Artigo 268 do Código Penal (CPB), que é uma violação da determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doenças infecciosas.

Após a detenção e indicações feitas da Polícia Militar, para evitar grandes aglomerações de pessoas, de acordo com o delegado, evangélico, orientou os fiéis para ir fazer a aglomeração em frente a delegacia de polícia e causar ruído.

Como delegado, além disso, a acusação, a Polícia Civil vai comunicar o ministério público do Estado (MPE) e da câmara municipal, para tomar outras medidas.